Ubuntu com cara de Windows 7

Linux não é Windows e vice-versa, mas sempre há quem se sente melhor com um ambiente visual com o qual está mais acostumado. Esse é o caso de alguns usuários de Windows quando vão pro Linux e não se adaptam rapidamente à interface. Não que elas sejam melhores ou piores, afinal há gosto para tudo. Eu por exemplo, prefiro a interface do KDE do que o Explorer do Windows ou o Gnome, mas uso mais o Windows no dia-a-dia. Se pudesse ter a interface do KDE no Windows, adoraria (o port do KDE pra Windows não me pareceu muito estável nem legal, ainda fica meio dependente do Explorer mesmo, se bem que não acompanhei como estão as versões recentes). Antigamente tinha a interface Blanes, que lembrava o visual clássico do Windows (como o 95, 98, 2000, etc). Um distribuidor chinês preparou uma interface com a cara do Windows XP, e um pessoal fez uma para imitar o Windows 7.

Enfim, cada um usa o sistema que acha melhor. Se você quer usar Linux mas não quer largar o visual do Windows, uma boa saída é usar um tema parecido, apesar disso ter seu ponto negativo, já que pode dificultar ainda mais a remover sua dependência do sistema anterior.

Juan de Jesus fez um trabalho grandinho ao reunir vários temas e arquivos com modificações para o Linux (mais precisamente o Ubuntu). Veja o resultado, nem parece Linux, “roda” até o “Aero”:

windows7-ubuntu-3



Baixe em:

http://gnome-look.org/content/show.php/Win2-7+Pack?content=113264

(não me responsabilizo pelo conteúdo do arquivo, afinal já teve reclamações coisas no gnome-look…)

Procure o botão de download, logo após o texto. Para instalar, rode o script GUIInstall.sh. O GUIUninstall.sh é para desinstalar.

O gráfico de compatibilidade indica que é melhor usar isso como o Ubuntu 10.04 do que com as versões antigas ou outras distros. Os efeitos do Compiz requerem que o Compiz esteja ativo, é claro.

Se não souber rodar o script, eu recomendaria não testar o pacote de temas, já que pelo visto você sabe muito pouco sobre Linux ainda e essas modificações poderiam lhe trazer problemas.

A Linux Trends postou mais imagens. Vi pelo texto do Matheus Gonçalves na Geek.

Como desbloquear celular da Vivo de graça, pela internet

Em 2009 a Vivo tinha colocado uma opção no site para desbloquear o celular. Essa opção ficava no servicos.vivo.com.br, área em que é necessário estar logado (basta fazer cadastro se não tiver ainda, desde que você tenha alguma linha da Vivo).

Logo depois a opção sumiu do site. Mas já faz algum tempo que colocaram de volta, e parece que ficou pra valer. Então veja como desbloquear seu celular Vivo, em poucos minutos, sem sair de casa nem precisar pagar por isso (afinal no Brasil o desbloqueio é gratuito e as operadoras são obrigadas, se o cliente pedir).

1 – Entre em servicos.vivo.com.br com seu número e senha. Se não tiver, faça o cadastro lá.

2 – Clique no menu Meus serviços (barra no topo).

3 – Na lista à esquerda, clique em Desbloqueio de aparelho.

4 – Informe o IMEI do aparelho. Para saber o IMEI, digite *#06# no seu celular, ou então verifique um adesivo na bateria ou na região onde ela é encaixada (abra a capinha, é claro).

5 – Escolha o fabricante e o modelo. Essa informação normalmente é fácil descobrir visualmente, se não souber procure a caixa do celular ou a nota fiscal.

Clique em Confirmar. Serão dadas as instruções para fazer o desbloqueio, basicamente você precisará digitar um código no aparelho.

Mas tome cuidado! Se digitar errado por três vezes o celular será bloqueado de outra forma, só podendo ser desbloqueado numa assistência técnica.

Outras formas de desbloqueio de celular de graça: ir numa lojinha oficial da Oi (leve a nota fiscal e documentos), ou então comprar um chip de desbloqueio via hardware, que na verdade não desbloqueia, mas permite usar qualquer operadora enquanto o chip ficar junto com o SIM card. É baratinho lá fora mas no Brasil pode custar mais caro, já que há interesse dos vendedores.

Veja mais sobre o desbloqueio de celular Vivo no Explorando, num texto antigo, da época que a Vivo lançou essa opção.

Para outras operadoras, consulte o atendimento delas.

Veja filmes de graça no YouTube

Ver filmes online tem virado tão moda em alguns países que até a maior rede de locadoras não aguentou: a Blockbuster está indo à falência.

Serviços como Amazon Video e Hulu (a versão paga) estão ficando comuns nos EUA. No Brasil temos a NetMovies, que entrega DVD/Blu-ray em casa e tem alguns filmes online também.

Mas você sabia que até o YouTube está entrando na onda? Tem vários filmes grátis no:

www.youtube.com/movies

Tem também shows:

http://www.youtube.com/shows

Música:

http://www.youtube.com/music

(alguns conteúdos podem não estar disponíveis no Brasil)

Estão em inglês, é bem verdade. Serve também como material pra quem quer ver filmes como estudo, por quem está tentando aprender inglês :D

Outro local que dá para citar é o Mundo Fox:

http://mundofox.com.br/br

E o Terra TV, que tem algumas séries para assistir online de graça (com publicidade, mas enfim, na TV também rola propaganda).

Esses sites são “legais”, ou seja, não é pirataria. Os produtores de conteúdo precisam se adaptar à realidade da internet, já que se não fornecer de uma forma acabam perdendo a venda, já que em todo lugar tem coisas pra baixar de graça sem autorização dos criadores do material.

Usa a busca do Google? Altere as opções!

Se você é daqueles que clicam com o botão direito nos links das buscas do Google para abri-los em nova aba, sabia que pode configurar para que já sejam abertos assim por padrão? Muita gente prefere, especialmente quando você quer abrir vários resultados antes de ler os textos de cada um.

Clique em Configurações de pesquisa, na página de resultados da busca do Google. Normalmente fica no topo da tela, à direita.

Por ali você pode marcar para sempre abrir os resultados em nova janela (= nova aba nos navegadores decentes), definir os idiomas preferidos para os resultados e alterar o SafeSearch.

O SafeSearch é interessante, ele filtra resultados pornográficos, o que pode ser desativado… hum, isso com a nova busca de imagens é espetacular se digitar as keywords certas :P #ficaadica.

Dá para bloquear a desativação do SafeSearch para quem usa o Google Chrome também, mas se a pessoa acessar por outros navegadores (ou com um sistema Linux em liveCD) aí já era, de forma que a opção não ajuda tanto assim.

Dá ainda pra mostrar mais resultados por página. O padrão é 10, mas pode ser até 100!

E se quiser, ainda pode desativar a sugestão de pesquisa, que vai sugerindo palavas de acordo com o que você digita.

Dicas para melhorar seu site nas buscas que talvez você não esteja fazendo

por Marcos Elias

Algumas coisas podem não ser consideradas “erros” por alguns especialistas, mas são erros ou falhas que julgo ruins, prejudiciais, e que você poderia evitar ou corrigir para melhorar a posição dos seus sites nos buscadores. Na pior das hipóteses alguns hábitos podem não prejudicar seu site nem ajudar, mas seria melhor se eles ajudassem, né?

Palavras chave

Não fique listando no final dos posts várias palavras chave separadas por vírgula. Isso merece ban mesmo, e uma hora ou outra ele vem. Explore as palavras dentro de frases úteis, que acrescente algum conteúdo, que sejam úteis para os visitantes. É útil para o usuário ler um artigo sobre o que ele procura, mas não é útil para uma pessoa ler uma lista de palavras separadas por vírgulas (exceto ao ler um dicionário de sinônimos :P).

Falando em sinônimos, use variações das palavras, certifique-se de ter a palavra principal no título e na URL, além de locais importantes do texto. Usar o Google Insights for Search e o Google Trends ajuda bastante para encontrar palavras chaves úteis para as buscas, onde você comprara as que quer e vê quais são mais pesquisadas. A ferramenta de palavras chave do Google AdWords também é boa, com ela você pode obter palavras relacionadas.

Ao usar essas ferramentas para comprar palavras, não se esqueça dos termos menos pesquisados também: por serem menos pesquisados a concorrência normalmente é menor, ou seja, se você aproveitá-los poderá conseguir algumas visitas fáceis! Muitos sites não têm poder para serem listados nas primeiras posições para termos muito pesquisados, mas poderiam ser listados facilmente na primeira página do Google se explorassem melhor as keywords e variações delas. Se forem muitas variações, considere fazer mais de um post ou página sobre o tema, criando um texto diferente – e se for no mesmo domínio, vale a pena linkar um no outro.

Evite linkar endereços de sites como eles são

Se você vai linkar um post do seu concorrente ou maior inimigo, coloque algo assim sem preocupação (sem link):

h t t p : / /
w w w . s i t e d o c o n c o r r e n t e . c o m . e t c /
p a g i n a . h t m l

Isso para evitar passar o mínimo de “pagerank” ou “juice” ou o que quer que seja para ele. Se pá, coloque a URL numa imagem, sem alt e sem link, rs. Agora sério, para linkar textos seus, prefira usar palavras em vez de colocar a URL e linká-la. Por exemplo, em vez de fazer isso:

Veja dicas de Windows 7 em:
<a href=’http://www.explorando.viamep.com/windows7′>http://www.explorando.viamep.com/windows7</a>

Faça isso:

Veja <a href=’http://www.explorando.viamep.com/windows7′>dicas de Windows 7</a>

As duas formas são “limpas”, porém a segunda lhe trará melhores resultados a médio e longo prazo, especialmente se você fizer em mais de um post, e de vez em quando trocando as palavras (por exemplo, nesse caso: dicas, tutoriais, artigos sobre, matérias sobre, etc).

A primeira parte é zueira (do concorrente), mas se mandar bem na segunda seu site terá resultados incríveis, otimizando as páginas linkadas paras as palavras chaves do link, do texto âncora.

Lembra do caso do maior mentiroso do Brasil? O pessoal usou basicamente isso, só que em sites externos. Linkar com o texto âncora desejado é muito poderoso, pois indica aquelas keywords entre <a> e </a> para a página linkada, mesmo que a página nem tenha aquelas palavras. Eu mesmo tenho mania de colar a URL em vez de linká-la dessa forma, é um pouco difícil perder o costume e a pressa algumas vezes atrapalha. Mas dedique um tempo a pensar nisso, revise seus textos trocando os links, e verá depois o resultado. Perca a preguiça, use a busca do seu próprio site para encontrar resultados relacionados e linkar no meio do texto, etc.

Títulos duplicados

Isso é ruim mas seu site não vai morrer por causa disso. É normal que alguns paginadores coloquem títulos duplicados para todas as páginas. Se possível, verifique no seu CMS se não daria pra colocar um número no título (na tag <title>), sem repetir o mesmo título idêntico em todas as listagens. Todavia, desde que as páginas tenham conteúdo diferente, usar títulos iguais não vai penalizar seu site como muitos dizem, pelo menos analisando vários sites isso é quase insignificante, prejudicando as posições das páginas numeradas, não do site todo. É pior quando você quer se poscionar bem para o texto do título (que pode ser sua marca), aí vale a pena correr atrás para mudar, focando a marca na página inicial. No Google Webmasters você pode ver os títulos duplicados que seu site tem.

Se forem páginas diferentes (não de listagens que pouco importam pras pesquisas), mesmo que sobre o mesmo tema, então aí sim se preocupe! Coloque títulos diferentes. E jamais coloque um site no ar com o título Nova página 1, Untitled, New page 1, etc.

Use alt nas imagens

Muita gente não usa o atributo alt da tag <img>. Utilize-o! Além de deixar seu site mais acessível (para leitores de tela, deficientes visuais, etc) ele pode ajudar na indexação da imagem nas buscas de imagens, podendo lhe trazer algum tráfego adicional. Vale notar que você não deve extrapolar nesse sentido. Coloque no alt apenas o texto mais descritivo e curto possível, por exemplo, “prefeito na inauguração do mercado municipal”, e não “prefeito na inauguração do mercado municipal de springfield prefeitura cidade obra construção mercado…” O alt não é um “repositório de palavras chave” e não deve ser usado nesse sentido.

Meta keyword e meta description

Era comum o preenchimento da tag meta keyword, lotando aquilo de palavras chave. Alguns ainda insistem em fazer isso. Pare! É pura perda de tempo. As palavras chave ficam no conteúdo, aquela listagem não tem efeito algum, sendo inútil. Se você sempre pára para ficar preenchendo aquilo, esqueça, use seu tempo para algo mais útil, seja se dedicar ao site de outra forma ou até mesmo a outra atividade.

Agora a meta description é importante SIM. Quando o Google não encontra um trecho tão relevante no seu texto para o que a pessoa pesquisou, mas a sua página merece estar naquela listagem, normalmente ele usa o texto da description para exibir nos resultados da busca. Ele é importante mas nem sempre vai ser usado, já que na maioria das buscas a listagem retorna um pedaço da área que tinha as palavras que a pessoa pesquisou.

Ah, vale a pena falar que a description deve ser única para cada página, com uma breve descrição do conteúdo da página – há plugins para WordPress que permitem fazer isso para os posts, para a home, etc.

URLs amigáveis são importantes para pessoas

E não necessariamente para buscadores. Um site com uma boa reputação no Google indexa URLs gigantescas cheias de caracteres sem sentido, mas quanto mais amigáveis forem, é melhor. É essencial que a URL tenha palavras chave também, não em excesso, mas as principais pelo menos.

Se você nunca reparou (será? rs) o Google negrita as palavras que as pessoas pesquisaram na listagem de resultados. E isso chama a atenção, já que o negrito é usado desde o tempo da máquina de escrever há muito tempo para destacar textos, bem antes da popularização dos computadores. Ou seja, a tendência é que as pessoas cliquem nos resultados que mais se pareçam com o que elas procuram. Nisso uma URL curta com as palavras chave (que ficarão em negrito) chamam mais a atenção do que uma URL estranha, mesmo que a URL curta não esteja na primeira posição, mas entre as primeiras.

No WordPress, vá na seção Permalinks (Links Permanentes) e aplique algum dos que usam %postname%. Se quiser deixar apenas o nome do post de pois da barra, use %postname% apenas no campo “Estrutura personalizada”. O link vai ficar curto e bonito. Em outros CMS é necessário consultar o suporte deles, sei que em vários sistemas feitos manualmente a migração é um pouco difícil (pode ser feita com .htaccess, mas vai depender do sistema também).

Ah, pelo mesmo motivo do negrito, veja também porque é bom colocar a palavra chave no título :)

Enfim, em breve mais dicas disso :)

Programas para criar um pendrive de boot do Windows

Se você precisa instalar o Windows 7 ou Vista num notebook, netbook ou PC sem HD, uma das formas mais fáceis é usar um pendrivre, dando boot pela porta USB. Lembre-se de que o pendrive deve ter espaço para os arquivos do DVD, cerca de 4 GB para o Vista ou 7.

Para criar um pendrive inicializável no Windows Vista ou 7 usando recursos nativos, sem precisar de programas extras, veja: criação de pendrive de inicialização do Windows. É fácil e não requer muito tempo, já que você usará ferramentas do próprio Windows (porém sem interface gráfica).

Se você não é usuário avançado nem intermediário ou não conseguiu por qualquer motivo usar o prompt de comando, pode recorrer a alguns programas que criam um pendrive de boot, até mesmo do Windows XP.

Um bom pro XP é o MakeBootable Pendrive, o A Bootable USB para Windows 7 e para Linux o Universal USB Installer, que permite gerar o pendrive com Linux a partir do Windows.

Videoaula – Instalação do Ubuntu com Windows em dual boot

Para quem está começando no Linux uma das dificuldades mais complicadas é a instalação. Antigamente isso era muito difícil, mas hoje anda tão fácil como no Windows – ou até mais fácil, em alguns casos.

Na primeira videoaula de Ubuntu mostrei como fazer a instalação do Ubuntu num computador onde você só irá rodar ele, ou seja, sem dual boot com Windows ou outro sistema.

Agora fiz um vídeo maior, detalhando outros passos da instalação, abordando de forma fácil a instalação do Ubuntu num computador que já tenha Windows.

No vídeo instalo o Ubuntu num computador com Windows XP, mas poderia ser o Windows 7 ou Vista, acredito que até mesmo o 98, os procedimentos seriam basicamente os mesmos. Essa situação é típica quando você não pode ou não quer formatar, criar novas partições, nem perder tudo o que está no HD. O Ubuntu permite redimensionar a partição do Windows, aproveitando o espaço livre.

Além da instalação mostro como instalar programas pelo gerenciador de programas do Ubuntu, como baixar e instalar o Google Chrome, além de outras dicas para iniciantes (especialmente quem nunca usou Linux, ou usou só um pouco, ou usava outra distro – como o Kurumin). Veja que o mito de que Linux é difícil não é bem verdade, apesar que reconheço que o sistema ainda tem algumas deficiências crônicas.

Veja no Vimeo, se possível veja em HD:

http://vimeo.com/14337999

Gravei a 1280×720, a qualidade em HD fica “perfeita”. O som não está tão legal, preciso MESMO de um microfone de mesa! rs

Instalação do Ubuntu e Windows em dual boot from Marcos E on Vimeo.

O embed acima não está em HD. O Vimeo cobra por isso (embeds em HD), e não tenho paciência pra dividir em partes pra colocar no YouTube; como o YouTube limita os vídeos a 15 minutos, acho que ele não merece meu trabalho de dividir o vídeo e ponto final).

Em vídeos futuros vou abordar o particionamento manual, tanto pelo Linux como pelo Windows.

Como abrir a janela Executar no Windows 7?

por Marcos Elias

A forma mais fácil: tecle a tecla do logotipo do Windows junto com R. A tecla do logo do Windows normalmente fica entre Ctrl e Alt (dica: veja mais atalhos de teclado).

O Windows 7 tirou o item “Executar” do menu Iniciar por causa do campo de busca, que cumpre essa função também. Você pode digitar comandos nele, por exemplo, cmd (para abrir o prompt de comando), iexplore www.explorando.com.br (para abrir o Microdicas no IE), etc.

Em alguns casos que você precisar do Executar, tecle Win + R mesmo.

Como exibir o Executar no menu Iniciar do Windows 7?

Se você quer o item Executar no menu, ainda é possível, ele apenas fica oculto. Clique com o botão direito do mouse no botão iniciar e vá em Propriedades.

propriedades do menu iniciar do windows 7

Na aba Menu Iniciar, clique em Personalizar:

personalizar o menu iniciar do windows 7

E a seguir marque o Comando Executar, depois dê OK.

ativar executar no windows 7

Ah, no Windows 7 você também pode arrastar o item Executar para a área de trabalho, criando um ícone de atalho. Mesmo que ele não esteja no menu, digite Executar no campo de busca e arraste o resultado que aparecer para o desktop :)

A Central de Redes do Windows 7

por Marcos Elias

Onde fica o Meus locais de rede no Windows 7?

Ao abrir uma pasta (ou o item Computador, do menu Iniciar) veja o item “Rede” que tem na parte inferior do painel esquerdo:

rede windows 7

Por ali você pode acessar os compartilhamentos.

Para iniciar uma conexão já feita, clique no ícone de rede perto do relógio (clique na setinha para cima, se necessário, já que o Windows oculta os ícones) e então clique no nome da conexão que deseja (por exemplo, o ADSL com autenticação).

redes windows 7 barra de tarefas

O Windows 7 tem uma central de redes e compartilhamentos que pode parecer um pouco confusa para quem vinha das versões anteriores do Windows. Antigamente as opções eram mais diretas. Clicando no ícone do computadorzinho (de rede) há o link Abrir a Central de Rede e Compartilhamento que aparece acima. Clique nela :)

rede windows 7

Veja que lendo o painel acima você acha rapidamente o que quer. Se precisar alterar as propriedades de uma conexão (por exemplo, para usar o OpenDNS) clique em Alterar as configurações do adaptador (no painel esquerdo da central de redes e compartilhamento). Aí finalmente (ufa!) vai aparecer uma tela com as conexões existentes. Aí clique nelas com o botão direito e corra para o abraço :)

conexões de rede no windows 7

Se você quer abrir um compartilhamento de rede mas ele não aparece na lista de compartilhamentos (normalmente demora um pouco na primeira vez, e pode ser necessário reiniciar o computador depois de criar os compartilhamentos em outras máquinas), então abra o Executar e digite o nome do servidor e a pasta, dessa forma:

\\servidor\pasta

Dica: não acha o Executar no Windows 7? Veja como fazer.

Começa com duas barras invertidas. Servidor pode ser o nome do computador que estiver compartilhando (veja nas propriedades do “Meu computador” se não souber) e pasta é o nome do compartilhamento (normalmente não é o nome da pasta real no servidor, especialmente se ela for muito grande). Em vez do nome do servidor você pode colocar o IP dele se souber. Entrando na tela de configuração dos roteadores normalmente você pode ver o IP conectado, então se for o caso fica fácil achar (por exemplo numa residência com netbooks ou notebooks conectados à rede wireless).

Não pense que é só você que ficou perdido com isso não, eu também me bati muito com isso quando fui do XP para o Vista (essas opções começaram a mudar no Vista).

Baixe o novo Windows Live Messenger 2011 – Beta

A Microsoft publicou um novo beta do Windows Live Essentials 2011. Para quem não sabe ele tem novas versões do “MSN” (que mudou de nome há muito tempo mas todos chamam de MSN), além de programas que antes eram embutidos no Windows – como o leitor de e-mails Outlook Express, que virou Windows Mail, e o Movie Maker, um “fazedor de filmes” (editor de vídeos gratuito).

Há várias atualizações mas ainda é beta, ou seja, pode ter alguns probleminhas. Experimentei uma lentidão a mais para abrir os programas, apesar das melhorias anunciadas.

windows live messenger 2011

Uma coisa interessante nessa versão é que há suporte a aceleração de vídeo usando a placa de vídeo, GPU, que é bem mais potente para isso do que o processador principal. Então quem tem uma GPU “parruda” poderá sentir melhorias ao lidar com vídeos, incluindo bate papo em vídeo no Messenger.

Baixe em:

http://explore.live.com/windows-live-essentials-beta

Vale lembrar que é apenas para Windows 7 ou Vista, não roda no Windows XP.

Se você quer só o Messenger, escolha a opção de personalização durante a instalação e instale só ele, caso contrário ele vai instalar todos os programas do pacote, o que pode ser um desperdício de tempo e espaço para quem não usa os outros.