Cap #1: O que é um domínio? Para que serve?

por Marcos Elias

Um domínio é um endereço na internet. É como se fosse a sua marca na web, mas vai muito além: é ele que forma o endereço do seu site. Ele permite que as pessoas acessem seu site sem precisar decorar os números IP dos computadores. Alguns exemplos de domínios:

google.com
explorando.com.br
viamep.net

Cada computador (ou rede) conectado à internet recebe um número (que pode ser temporário ou fixo) para que os outros possam se conectar a ele. O endereço numérico normalmente é formado por quatro grupos de números separados por pontos, algo como: 200.351.309.233 (IPv4).

Um número IP pode ser usado para acessar um determinado site, mas normalmente um servidor não hospeda um único site, mas centenas ou milhares deles. Além de ser difícil ficar decorando os números (normalmente temos mais sites favoritos do que números de telefone!) seria complicado separar os sites dentro dos números, já que um mesmo número pode corresponder a um computador que tenha muitos sites. Usar pastas com separação pela barra não seria nada legal para empresas e marcas, fora que nenhum cliente teria a “propriedade” do domínio. Definitivamente, ter um site como 210.309.233.669/empresa nem se compara a ter apenas empresa.com.

É melhor que cada site tenha um identificador único, um nome único. Aí entra o domínio. Uma outra vantagem do domínio é que ele permite manter o apelido, o endereço do site, mesmo se ele mudar de servidor. Se o IP for trocado, se a empresa de hospedagem falir, etc, o dono do site atualiza a informação na base de domínios (que é mundial, gerenciada pela ICANN, para que possa valer no mundo todo). A alteração passa a valer em algumas horas e não se perde toda a divulgação feita. Seria como se você pudesse trocar de casa mantendo o endereço.

É mais fácil digitar explorando.com.br do que um número grande. É mais fácil falar explorando.com.br do que um número. É mais fácil decorar explorando.com.br do que um número. Enfim, os domínios são indispensáveis na internet.

Ao digitar www.explorando.com.br no navegador, seja ele qual for, o sistema irá buscar numa base de dados na internet a qual IP esse domínio corresponde. Uma vez encontrado, ele pode então se comunicar com o site e acessar o seu conteúdo.

Os domínios também são essenciais em e-mails, como fulano@servidor. O nome antes do arroba indica o usuário, e depois do arroba, o domínio. Os programas dos provedores responsáveis pela entrega dos e-mails primeiro encontram o servidor responsável pelo domínio, e entregam a ele a mensagem. O servidor responsável pelo domínio então se encarrega de colocar a mensagem na caixa postal do usuário certo. Sem os domínios os e-mails também seriam bem mais complicados.

A base de domínios é uma só, centralizada, já que os sites precisam estar disponíveis em todo o mundo. Ela é organizada pela ICANN, Internet Corporation for Assigned Names and Numbers. O site dela é www.icann.org.

Seja aqui, nos EUA ou no Japão, o www.explorando.com.br deve levar, ao menos em teoria, ao mesmo site. Duas ou mais pessoas não podem ter o mesmo domínio, já que a rede mundial de computadores é justamente mundial. Para facilitar as consultas os provedores de internet normalmente usam uma cópia atualizada das listas de DNS, evitando que tenham que ficar consultando os servidores centrais. Quando você acessa um domínio qualquer é comum que seu sistema operacional ou navegador também guarde em cache os dados do mesmo, para evitar ter que buscar esta informação nos próximos acessos, e assim tornar o carregamento mais rápido.

Imagine que há uma extensa lista com os domínios e os IPs correspondentes, algo como uma tabela com duas colunas. Por isso, quando se altera os DNS de um domínio, pode ser necessário esperar até 24 horas – para ocorrer a replicação. Em alguns casos um site recém-registrado ou com o DNS alterado pode ser acessado num lugar, mas não em outro. Isso ocorre porque a cópia local de determinado provedor está um pouco mais atualizada do que a do outro. Isso normalmente é resolvido em questão de horas ou, no máximo, um ou dois dias.

DNS = Domain Name System. Um servidor DNS responde às requisições e indica o IP correto para o domínio ou subdomínio desejado. A partir do IP, o navegador (ou o programa em questão) pode se conectar ao servidor do site e obter o que busca. A base de domínios não guarda diretamente os endereços IPs. Ela guarda os endereços dos servidores DNS; estes, por sua vez, respondem pelo domínio desejado.

Os servidores DNS permitem dividir um domínio em mais apelidos, os subdomínios. Por exemplo, explorando.com.br é o domínio principal. dicas.explorando.com.br é um subdomínio. O site dicas.explorando.com.br pode estar no mesmo servidor do explorando.com.br, o que é muito comum em sites pequenos e médios; ou também pode estar em outro, mesmo que esteja localizado num local físico bem distante do servidor do domínio principal.

O processo de registro de domínios garante a cada cidadão ou empresa ter seu domínio válido na internet. Pode-se criar quantos subdomínios quiser, sem precisar pagar a mais por isso (apenas a anuidade básica). Só depende do servidor utilizado ou da empresa de hospedagem.

Veja que www.explorando.com.br não é bem o domínio. O domínio é explorando.com.br. O www é um subdomínio. Como quase todo mundo usa www no começo do site, ele faz parte do domínio como um todo, e é normal que se chame todo o endereço do site de domínio, isso informalmente.

Na verdade pode-se dizer que explorando.com.br é um subdomínio do com.br. Só que o .com.br não é usado, ele é exclusivo para servir como “extensão de domínio” no Brasil. Da mesma forma, numa última análise o com é um subdomínio do .br neste caso.

As terminações genéricas para uso na internet são conhecidas por gTLD (generic top-level domain), como .com, .net ou .org. Elas podem ser usadas por qualquer pessoa ou instituição, normalmente em qualquer país. As terminações com duas letras de país são os ccTLD (country code top-level domain). Elas são organizadas por instituições dentro dos países. Por exemplo, para registrar um com.br o grupo oficial no Brasil requer um nome e endereço válido por aqui. Já num .es, da Espanha, não há tantas exigências. Varia de país para país.

Todos os capítulos:


Namecheap.com - Cheap domain name registration, renewal and transfers - Free SSL Certificates - Web Hosting    

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>